Close

13 de julho de 2016

Além da qualidade de vida – Tatá Vianna

coluna vertebral

Para melhorar a qualidade de vida, melhore a qualidade dos seus pensamentos.”

                                                                                                                   Brian Tracy

 

A saúde é o nosso bem mais precioso, a base para o nosso bem-estar. Entretanto, muitos de nós só se lembram de preservar ou melhorar a saúde quando um sinal vermelho aparece. E aí, começa a correria para a busca de uma solução rápida ou, pior, para o médico.medico - qualidade de vida

Saúde não é apenas o estado de “ausência de doenças”, é a presença de níveis ótimos de energia, resistência, força muscular e principalmente equilíbrio mental.

Quando seguimos caminhos diferentes, voluntariamente ou não, estamos optando por caminhos tortuosos e inconsequentes, que certamente afetarão nosso bem-estar.

Ter saúde muitas vezes pode ser uma questão de escolha. O modo como levamos a vida, os hábitos que cultivamos e nossas atitudes podem ser grandes aliados ou verdadeiros vilões na busca por qualidade de vida, que em seu significado mais amplo incluem o bem-estar físico, mental, psicológico, emocional e, sobretudo espiritual.

Nossa saúde física e mental, a preservação da nossa individualidade, as relações sociais que cultivamos, o ambiente em que vivemos e o conjunto das nossas crenças pessoais são alguns dos elementos que contribuem, fortemente, para a nossa qualidade de vida.

A Organização Mundial da Saúde define qualidade de vida como sendo “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Foi até criado uma forma científica para medir a qualidade de vida de diferentes grupos sociais, diferentes países e culturas. O IDH – Índice de Desenvolvimento Humano que compara à riqueza, a educação, a expectativa média de vida, o índice de natalidade e mortalidade entre outros fatores. (O Brasil ocupa o 75º lugar no ranking desse índice).

A qualidade de vida, em essência, está diretamente relacionada com a superação de desafios, com cultivar hábitos positivos, com o autoconhecimento e principalmente com a felicidade.

Ter uma vida sedentária, beber e comer em excesso, fumar, ser estressado e preocupado demais por conta do trabalho, não ter amor próprio, não se relacionar afetiva e socialmente, estar frequentemente com mau humor, ser pessimista, se sentir desafortunado e não ter nenhum tipo de fé são exemplos de más escolhas que podemos fazer e que podem afetar diretamente a nossa qualidade de vida. Ou seja, a nossa qualidade de vida está relacionada com a maneira que decidimos viver – é uma escolha pessoal.

Aí eu te pergunto: O que é qualidade de vida para você?

Primeiramente, precisamos desmitificar a ideia de que qualidade de vida tem a ver com conforto e acesso a bens materiais, pois não tem, isso é padrão de vida. Qualidade de vida tem a ver com a quantidade de experiências positivas que você experimenta ao longo da vida, possuindo ou não bens materiais.

E como ir além da qualidade de vida, como sugere o título desse texto?

É importante termos em mente, que para irmos além da qualidade de vida, nós não precisamos necessariamente de bens materiais, status e fama, pois há valores associado à qualidade de vida que não estão presentes em tudo isso. Por exemplo, o acúmulo de bens materiais não vai mudar o seu padrão de infelicidade, se fosse assim, por que as pessoas compram e mesmo assim não se sentem felizes?

Qualidade de vida está ligada ao nosso EU interior, ao nosso estado de espírito, à nossa própria energia. Quando mergulhamos em direção ao nosso próprio mundo interior, descobrimos infinitos caminhos pelos quais podemos percorrer, e assim, nos autoconhecer.

Se você pensar bem, verá que as várias faces da qualidade de vida, nos seus aspectos de saúde física, mental, psicológica, espiritual; nos seus aspectos de independência individual, capacidades de trabalho e nos seus aspectos de relações pessoais, sociais e afetivas dependem muito de cada indivíduo. É claro que os aspectos ambientais da qualidade de vida têm forte viés coletivo, que depende do comportamento da sociedade como um todo.

Meu ponto aqui é insinuar que você pode ir além da definição comum da qualidade de vida e passe a olhar mais para você mesmo.

Para isso, ter uma vida mais saudável com algumas horinhas apenas para você, para cuidar do seu corpo, da sua mente e da sua alma é fundamental. Arrume um tempo para relaxar, meditar e entrar em sintonia com você mesmo – a base para ter uma vida mais equilibrada.

Tenha momentos de lazer com seus amigos e familiares. Pratique alguma atividade física, tenha uma alimentação saudável e balanceada, se cerque de pessoas positivas, leia mais.

Esses simples momentos de descontração favorecem para um maior equilíbrio emocional e funcionam como antídoto contra o stress.

Yoga - qualidade de vida

Eis aqui algumas dicas interessantes:

Reveja seus valores: Se queremos resultados diferentes, precisamos adotar atitudes diferentes. Pergunte-se: O que eu realmente quero para a minha vida? O que me faz bem? O que eu preciso fazer para ter uma vida mais saudável?

Avalie sobre seu emprego: Faço o que me dá prazer e satisfação? Resido perto do meu trabalho? Os valores da empresa estão alinhados com os meus valores?

Seja mais produtivo: Uso o tempo a meu favor para cuidar de mim? Faço alguma atividade física para “descarregar a mente”? O que tenho feito para obter o melhor que a vida pode me dar? Tenho me distraído muito com futilidades?

Reflita sobre seus desejos e necessidades: Eu realmente consumo apenas o que necessito? O que eu tenho realizado está alinhado com meus sonhos e objetivos?

Examine seus relacionamentos: Quanto tempo tenho me dedicado a minha família e aos meus amigos? Que tipo de pessoas tenho atraído para a minha vida? Que tipo de relacionamento eu quero para a minha vida?

Então, eu te pergunto querido leitor: Como você tem lidado com a sua saúde no dia a dia? Você acha que ir ao médico uma vez por ano e tirar as merecidas férias do trabalho é o bastante para melhorar a sua qualidade de vida? Que tal começar por definir para si mesmo o que é qualidade de vida?

Como bem observou Luiz Sérgio DeRose, mestre de Yôga – criador e divulgador do Método DeRose:

“Qualidade de vida é adotar uma visão de mundo que nos motive a buscar o desenvolvimento e o aprimoramento contínuo, conquistando a nossa excelência através do estudo, dos ideais e do autoconhecimento.”

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *